sexta-feira, agosto 31, 2012

Um conselho

Regras de elaboração de um relatório de actividades.

Talvez demasiado chatas e restritivas.

Mas uma coisa é certa: analisar e pensar na participação numa actividade qualquer, não é - repito: NÃO É - uma actividade de per se. Como tal, não se afigura como algo a constar de um relatório que, lá está, se dedica e debruça sobre....actividades. Pois se não é tal... Pensar em fazer NÃO é uma actividade. FAZER é que é uma actividade. Portanto, quando efectivamente participamos, activamente (cá está...) na actividade que antes analisámos apenas intelectualmente, AÍ SIM, está a realizar-se uma actividade. Actividade essa que, sim senhor deverá ser relatada num Relatório de Actividades. Parece simples. Mas se calhar não é. É como a "emissão de pareceres". Trata-se de uma actividade através da qual se emitem pareceres (parece ser óbvio pela designação), e não uma actividade pela qual se preenchem questionários e inquéritos. Acho eu, sei lá. É tudo muito difícil, muito complexo. Uma tragédia. Uma hecatombe intelectual.

Sem comentários: